xx-Sobre Mim-

xx-Pesquisar Neste Blog-

 

xxJaneiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

xx-Posts Recentes-

xx Carta de um bébé abortado...

xx Como é que é possível?

xx Should i leave?

xx Porquê sofrer?

xx Alvaro de Campos - Às vez...

xx-Arquivos-

xx Janeiro 2007

xx Dezembro 2006

xx Novembro 2006

xx Outubro 2006

xx-Favoritos-

xx Aprender a crescer

blogs SAPO

xxsubscrever feeds

Domingo, 26 de Novembro de 2006

Alvaro de Campos - Às vezes

Às vezes tenho idéias felizes, 
Idéias subitamente felizes, em idéias 
E nas palavras em que naturalmente se despegam...  
 
Depois de escrever, leio... 
Por que escrevi isto? 
Onde fui buscar isto? 
De onde me veio isto?  Isto é melhor do que eu... 
Seremos nós neste mundo apenas canetas com tinta 
Com que alguém escreve a valer o que nós aqui traçamos?...

X Sinto-me: :p louca
X Música: clã - problema de expressão
Sábado, 25 de Novembro de 2006

Listen to your heart!

Esta é uma das minhas músicas favoritas...Se quizerem ver o videoclip é só ir a http://www.youtube.com/watch?v=TdFH4XuREYA

 

DHT - Listen to your heart

I know there's something in the wake of your smile
I get a notion from the look in your eyes, yeah
You've built a love but that love falls apart
Your little piece of heaven turns too dark

Listen to your heart
When he's calling for you
Listen to your heart
There's nothing else you can do
I don't know where you're going
And I don't know why
But listen to your heart
Before you tell him goodbye

Sometimes you wonder if this fight is worthwhile
The precious moments are all lost in the tide, yeah
They're swept away and nothing is what it seems
The feeling of belonging to your dreams

Listen to your heart
When he's calling for you
Listen to your heart
There's nothing else you can do
I don't know where you're going
And I don't know why
But listen to your heart
Before you tell him goodbye

And there are voices
That want to be heard
So much to mention
But you can't find the words
The scent of magic
The beauty that's been
When love was wilder than the wind

Listen to your heart
When he's calling for you
Listen to your heart
There's nothing else you can do
I don't know where you're going
And I don't know why
But listen to your heart
Before you tell him goodbye

Listen to your heart
Mmmmmmmm

I don't know where your going
And I don't know why
Listen to you heart
Before you tell him goodbye

X Sinto-me: finalmente fim de semana :p
X Música: DHT - "Listen to your heart"
Quinta-feira, 16 de Novembro de 2006

Felicidade!

Ás vezes ficamos tão obcecados com as nossas tristezas que perdemos a noção de tudo à nossa volta. Pode ser que em alguns casos até seja melhor assim, mas na maior parte das vezes estamos apenas a ignorar o que de bom há para nós do outro lado do sofrimento. Todos os tipos de sofrimento são construtivos e por isso há sempre o lado positivo da questão.

Ignorando os sinais ignoramos também os momentos de felicidade que a vida nos pode proporcionar, e uma coisa é certa, a vida não nos abre a mesma porta duas vezes na vida...A felicidade bate na nossa porta quando a infelicidade se apoderou de nós, para nos ensinar a ter esperanças e acreditar que tudo vai melhorar, a única coisa que temos e podemos fazer é abrir a porta e deixá-la entrar...ou não. É desta escolha que depende a nossa capacidade de ser feliz.

Bom fim de semana ; )

X Sinto-me: doente...
X Música: Craig David - "Do you believe in love"
Sexta-feira, 10 de Novembro de 2006

Quem perde com as greves?

  Bom quero frisar desde já que toda a gente têm o dever de lutar pelos seus direitos, mas bem vistas as coisas quem perde com as greves são apenas os utentes...O Estado até agradece o dinheiro que poupa com os grevistas...

Nos hospitais, as consultas são canceladas...centenas de funcionários a contribuir para o aumento da poupança do Estado...os únicos prejudicados com tudo isto são de facto os utentes, por exemplo, quem vive no interior do país e tem de fazer viagens de 1 ou 2 horas para chegar ao hospital, para além de gastar dinheiro nos transportes, quer sejam eles particulares ou colectivos, vão para casa sem alcançar os objectivos a que se propuseram . Depois à que esperar pela marcação de uma nova consulta...2,3,4 meses de espera...É assim tão difícil avisar os pacientes nos dias anteriores? Para que servem os telefones?

As escolas fecham. Menos mal, é facto que as crianças do ensino primário não podem ficar sozinhas em casa, mas acaba por se arranjar uma solução, que em casos extremos é não ir trabalhar, e perder um dia de salário, para tomar conta delas. Pelo menos não ficam um dia inteiro na escola sem comer. O grande problema, pelo menos para mim, são as escolas que não fecham mas encerram os serviços básicos de "sobrevivência" dos alunos, no meu caso particular não houve grande problema, porque apesar do bar da escola estar fechado os alunos dos 10º, 11º e 12ºs anos podem sair da escola nos intervalos e tomar o pequeno almoço nos cafés mais próximos, a questão é que os restantes alunos (7º, 8º, e 9ºs anos) não o podem fazer, por isso só têm 3 hipóteses: ou pedem aos mais velhos que lhes tragam comida, ou saltam as redes longe da vista dos funcionários ou então não comem, e ponto.

Parece-me que os sindicatos estão a esforçar-se e a penalizar quem nada tem a ver com o assunto sem obter resultados, o que é sinceramente triste...Mas cada um luta com as armas que tem, se estas são as únicas armas que a Função Pública tem resta-nos esperar que alguém ouça os sindicatos e faça qualquer coisa para garantir o bem-estar dos funcionários e da população...

Bom fim de semana pessoal!!!

X Sinto-me: Cansada....k semana ;)
X Música: Marcos Hernandez- "The Way I Do"
Quinta-feira, 9 de Novembro de 2006

Palavras leva-as o vento

Soam, mudas e caladas, a lamento.
Como surdas trovoadas de um mau tempo.
E são farpa e estigma, são estocada.
São verdade ou mentira, são nada.

E são tudo. Quando nem tudo convém.
Quando a voz é o que se pensa
E o que se pensa se diz a ninguém.

São versos, são prosa, são literatura.
São textos de pouca dura.
São frases com pouca sentença.
São ideias sem presença.
São sintomáticas dores da doença
Que ataca, sem licença,
Quem as guarda, quem as ouve,
Quem as viu, quem as não soube,
Quem as não quer, quem as não tem.

Que difíceis são as palavras,
Quando encontram o momento
Em que não se podem calar.
Quando são ditas a tempo,
E o vento não as pode levar.

 

E quando não sobra mais nada para além das palavras? Pois é nem tudo o tempo levou...e ficam as feridas que as palavras abriram e a memória não deixou fechar...

X Sinto-me: descontrolada...
X Música: Skye - "Love Show"
Quarta-feira, 8 de Novembro de 2006

Tudo o que odeio em ti!

Odeio a maneira como falas

Odeio como penteias o cabelo

Odeio quando dizes que estou errada

Odeio a forma como me olhas

Odeio os teus olhos brilhantes

Odeio quando lês os meus pensamentos

Odeio-te tanto que me desanimas

Odeio-te tanto que me levas a fazer rimas

Odeio-te por teres sempre razão

Odeio quando me mentes

Odeio quando me fazes rir

Odeio-te mais ainda quando me fazes chorar

Odeio quando não estás por perto

Odeio-te por não me ligares

Mas acima de tudo odeio não te poder odiar

Nem um pouco...

Nem por um segundo...

Nem por nada...

X Sinto-me: perdida...
X Música: Nelly Furtado - "Try"
Terça-feira, 7 de Novembro de 2006

Julgamentos precipitados

" Ama-me quando eu menos o merecer, porque será nessa altura que mais necessitarei " - (Dr. Jeckyll )

É tão fácil apontar o dedo aos erros dos outros e tão difícil  compreender as razões que levam as pessoas a cometer certos erros. Às vezes não há nada para perceber porque não há motivo que o possa justificar.

E quando as razões são fortes e ninguém as entende. Quando nos esquecemos de dizer bom dia ao empregado da padaria, ou não pedimos desculpa se nos atrasamos, ou não enviamos uma mensagem de aniversário a alguém próximo, ou nos esquecemos de devolver o livro na biblioteca. É verdade que estes não são problemas com grande nível de gravidade, mas servem perfeitamente para dar o exemplo.

O empregado da padaria pode considerar falta de educação entrar e não cumprimentar os funcionários do estabelecimento o que para nós foi apenas uma falta de atenção, quando não pedimos desculpa pelo atraso, a perspectiva do crítico acusa-nos de falta de consideração em relação a todas as pessoas que chegaram no horário previsto, nós apenas ficámos retidos no trânsito (as obras no fundo da avenida não são culpa nossa, nem fomos nós que demos a ideia!). Os nossos amigos podem ficar magoados por nos termos esquecido deles, mas a vida hoje em dia não está fácil para ninguém e o saldo do telemóvel ficou a zeros, os bibliotecários vão achar que não entregámos o livro só porque gostamos de quebrar as regras, e nós...só não tivemos tempo para o fazer...

Nem sempre o que parece é, e há que dar o beneficio da dúvida. Podem haver duas razões para o facto de eu ter caído ao fundo da rua: uma é a pedra que me fez tropeçar, a outra é que me tenha atirado ao chão...Não faz qualquer tipo de sentido esta segunda hipótese... 

Tal como não faz sentido fazer julgamentos precipitados de pessoas que na maior parte dos casos nem conhecemos bem...

Fiquem bem, bons pensamentos.

Obrigada pela visita. Comentem!!!

X Sinto-me: perdida
X Música: Jojo - Too little too late
Segunda-feira, 6 de Novembro de 2006

Ininspirada

Bom alguém me disse que para não irmos abandonando o blog o melhor era escrever sempre qualquer coisa (mesmo que estúpida) por isso aqui estou eu só para dizer que não tenho estado muito inspirada e por isso nao tenho nada de interessante para escrever...fiquem bem e atém à próxima =)   ; D
X Sinto-me: cansada
X Música: Jeito Moleque - "Sobrenatural"
Sexta-feira, 3 de Novembro de 2006

Principe encantado

Nos dias de hoje pode até parecer patético utilizar a expressão "príncipe encantados", mas por muito que tentemos negar todas as mulheres procuram incessantemente o seu próprio principe encantado, no entanto a ideia de um principe encantado sofreu algumas mudanças ao longo dos tempos.

Nas histórias que nos foram contadas pelos nossos pais e avós o principe encantado era sempre o herói que salvava a princesa das garras do vilão, mas nunca ninguém explicou como é que nascia este amor, para mim naquela altura, e acredito que para todas as crianças o amor era como um conto de fadas e mais cedo ou mais tarde vai aparecer um principe montado num cavalo branco que nos vai salvar do dragão. Casam-se e vivem felizes para sempre. Quanta ilusão...

Depois de ultrapassar a fase da ingenuiodade percebi  que os dragões já não existem e que os principes encantados que aparecem nas histórias se extinguiram com eles.

Mas não deixei de acreditar em principes, pessoas especiais, que nos mostram o amor e ensinam o seu verdadeiro significado. Não sei o que dizer à cerca do amor à primeira vista, mas sinceramente, parece ser uma grande fantasia, o amor existe além do olhar, e se é verdade que podemos saber os pensamentos e sentimentos das pessoas a partir dos seus olhos, também é verdade que só um grande conhecimento da pessoa em questão nos permite compreender o que os seus olhos nos dizem antes da boca o expressar...

Depois de tudo isto já não sei se acredito na velha história das duas metades da laranja que estão destinadas a encontrar-se um dia (bláblábláblá) ... Se existem principes encantados ou apenas pessoas especiais, se o verdadeiro amor é real ou apenas mais uma fantasia...

X Sinto-me: um turbilhão de sentimentos...
X Música: Rita Guerra e Beto - "Acreditar"
Quinta-feira, 2 de Novembro de 2006

Aprender a crescer

"O importante não é aquilo que fazem de nós, mas o que nós mesmos fazemos do que os outros fizeram de nós" - Jean-Paul Sartre

É certo que a vida coloca alguns desafios no nosso caminho, depende de cada um atribuir-lhes uma nível de importância. Por vezes atribuimos demasiada importância a alguns acontecimentos, no momento até pode parecer extremamente dispensável mas com o passar do tempo percebemos que todas as experiências que passamos são necessárias para o nosso crescimento e conhecimento pessoal.

É através do sofrimento que damos valor à felicidade, das falsas amizades que aprendemos a interpretar os sinais e a "escolher" melhor as pessoas a quem chamamos amigos, na ausência de alguém percebemos a falta que nos faz, etc. É atravez de todos os momentos amargos que a vida nos faz passar que damos o devido valor aos momentos doces e de felicidade que ela nos proporciona.

Pode até parecer presunção da minha parte mas acho que me tenho tornado uma pessoa um bocadinho melhor a cada sofrimento que passo, de que adianta lamentar-nos se não pretendemos crescer e aprender a levantar-nos com as nossas quedas?

Tenho de agradecer a todos aqueles que me atiraram ao chão, afinal de contas à sempre o reverso da moeda e foram também eles que me ensinaram a levantar. Um agradecimento muito especial a quem me fez deixar de acreditar na amizade verdadeira...se isso não tivesse acontecido teria continuado a viver amizades fictícias e não saberia dar valor aos amigos maravilhosos que apareceram na minha vida...Muito obrigado a ti que planeas-te a minha queda e acabas-te por inutilizar todos os teus esquemas..."Eu sobrevivi" :D

 

X Sinto-me: misteriosamente descontraída..
X Música: Ronan Keating - "Iris"

xx-Meus Links-